Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Ouriço

MENU

Quem ganhou as Europeias? Hitler!

Jack Soifer 31 Mai 14









O pó seco e amargo é fácil de, com qualquer faísca extremista, explodir.
O partido vencedor foi o ABN, Abstenção, Branco e Nulo, com 73% em Portugal e quase isso em muitos pequenos países. Em alguns concelhos chegou aos 77%, como em Albufeira. Este é um voto contra o sistema. A assim chamada democracia representativa deixou de representar os eleitores para representar alguns lóbis ou outros interesses.

Este nível do ABN é um alerta: são necessárias urgentes mudanças estruturais, a começar pelo sistema eleitoral. Por exemplo, nos EUA o congressista representa o seu eleitorado, pois não importa o partido, será penalizado se não o fizer. Como ele lá não tem reforma após oito anos, trabalha pelos seus eleitores, mesmo contra a orientação do partido. Aqui, em nome da “governança” exige-se fidelidade de voto, mesmo que seja contra os interesses do eleitor.

Este nível de ABN já ocorreu noutros países; é um alerta para tumultos populares. No Brasil, precedeu o golpe militar de 1964; no Chile, o de 1973. Na Grécia, os da década de 1970. Na Alemanha, o descrédito do Parlamento e da austeridade imposta durante a recessão dos 1930 trouxe ao poder extremistas da esquerda e da direita, como ocorreu agora na UE. Foi quando Hitler conseguiu tomar o poder e unir grande parte da Europa, para dominá-la com os seus simpatizantes e matar os outros. A promiscuidade entre os poderes legislativo, depois eliminado, o judicial, o executivo (Hitler) e o económico, trouxe um regime adorado pelos que com ele muito ganharam, odiado pelos pequenos países ocupados pelo nazismo xenófobo e assassino, que propagava, como a UE, que tudo estava bem.

Precisamos de uma outra UE para credibilizar o eleitor. Talvez um regresso ao Tratado de Maastricht que permitia alguma autonomia aos países pequenos e periféricos. Estes detalhes são discutidos cada vez mais pela elite pensante, e o livro bilingue Portugal pós-troika? Economic Democracy aborda este debate e apresenta soluções.

Continuar como está é querer tapar o sol com a peneira. O pó seco e amargo é fácil de, com qualquer faísca extremista, explodir.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds