Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Ouriço

MENU

!2 de Março e os indagados

John Wolf 4 Mar 12

No dia !2 de Março de 2011 a população Portuguesa manifestou-se veementemente pela situação de descalabro do país. De um modo transversal, a sociedade cívil esteve presente nesse protesto, mais leigo que ideológico, em torno de um slogan central, consubstanciado na expressão "precariedade". A direita, a esquerda, o norte e o sul, abanaram com nuances de distinção as bandeiras de repúdio, pela forma como os governos conduziram a gestão do país ao descalabro. A plataforma do !2 de Março sugeria algo de novo no panorama político nacional. A sugestão de uma nova força civil, passível de se transformar num agente permanente de transformação, quiça um novo partido criado a partir da colecta de consternações. Mas tal não aconteceu. Da Av. da Liberdade (e os seus 400.000 ocupantes) não brotou nada de estruturante, intelectualmente capaz de oferecer propostas de construção. As vozes que se fizeram ouvir, batiam continuamente na mesma tecla. Na reclamação instintiva e natural pela subtração, aquilo que o governo anunciava retirar aos trabalhadores Portugueses. Nos dias que se seguiram algumas vozes alternativas, os alegados representantes do movimento, deram a cara, e lá foram entregar petições ao parlamento, como se aqueles a quem retiraram confiança política fossem surpreendentemente conceder-lhes uma espécie de reembolso político, uma devolução utópica. O movimento !2 de Março lamentavelmente foi fiel a si, ao país, à geração precária incapaz de apresentar propostas de solução para reconstruir um país tombado. Infelizmente a indagação é filha bastarda da indignação.

 

(fotografia tirada na manifestação - JW)

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds