Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Ouriço

MENU

Poesia que pica...

Artur de Oliveira 3 Fev 12

 

 

 

 

 

 

 

 

 

No espelho
Jaz a imagem amarrotada 
De Deus:
Homens que deliciados 
Se comem
Limpando a boca à Palavra.
Amanhã 
É um novelo confuso 
De frios 
Que do passado assomam
Para cortar o passo 
À vida verdadeira.
Eu
Quero promulgar
A transparência do Tempo
A Alegria macia do Espaço
Quero ser a real vertigem 
Do Movimento
O rodopio infinito 
Da Imaginação
Criadora e criativa
Eu quero ser 
A raiz e o fruto 
Duma nova Aventura.

 



Pedro Moura Azevedo

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds