Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Ouriço

MENU

Divisão de poderes na UE

Artur de Oliveira 28 Jun 14

E assim acabou a saga do Sucessor de Durão Barroso. PPE e PSE como sempre dividem o poder entre eles e afinal as guerras ideológicas não passam de teatro infantil.


Autoria e outros dados (tags, etc)

A estratégia do Mea Culpa

Artur de Oliveira 6 Jun 13

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A estratégia do mea culpa continua... Tanto o FMI como a Comissão Europeia e Angela Merkel sabem que a austeridade exceliana  falhou e querem evitar mais conflitos sociais e que se mantenham certas pessoas em lugares-chave... Mas claro que vão rolar cabeças. Não é preciso estar na reunião do Clube Bildeberg para saber isso.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Consta que...

Artur de Oliveira 17 Mai 13

Durao Barroso esta prestes a ser substituído por falta de pulso na crise financeira na UE, por pressão alemã e talvez o senhor que se segue seja Mário Monti.
Em casa em que não há pão, toda a gente ralha e ninguém tem razão. Em ano de eleições, Angela Merkel faz-se de santinha e atira as culpas á Troika e á Comissão Europeia e pelos vistos arrumara o balneário da Comissão Europeia. Mudanças cosméticas? O futuro o dirá.

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

 

Desconfio quando uma instituição dominada por lobistas diz ser solidária. Os experts da Comissão Europeia não querem perder os seus privilégios e bons salários. Nem que os seus amigos tenham o salário reduzido ou a atual estrutura de poder questionada.

 

Eles lembram-se ou leram o que ocorreu nos EUA com o massacre aos jovens, durante a guerra do Vietname. E como esta revolta acabou por levar ao poder Kennedy que, assassinado, deu origem a um movimento que, pela primeira vez na história de uma democracia, obteve o impeachment de um Presidente, o Nixon.

 

Eles lembram que a rigidez da CCE e dos lóbis que não permitiam inovações técnicas nem sociais trouxe a Revolução Estudantil de 1968, em Paris. A atual situação social, política e económica aponta para que, ainda este ano ou em abril de 2013, os jovens desempregados iniciem uma revolta que focará na atual estrutura de privilégios de alguns bancos estrangeiros, e de algumas megaempresas.

 

Assim, Durão Barroso tirou um coelho da cartola e oferece umas migalhas para mitigar o desastre que assolou a UE e vai piorar em 2013. Ao criar um buffet com trabalhos provisórios e estágios para jovens, até as eleições na Alemanha, espera Barroso poder então ter um outro Chanceler, disposto a ouvir em vez de ordenar, como a Frau FerroStaal agora faz.

 

Não creio que os jovens de hoje deixar-se-ão iludir com as belas palavras do Herr Durão Raposo. Pois ao lado dos jovens encontra-se por toda a parte, não só nas ruas, o raciocínio dos maduros desempregados, dos reformados prejudicados, dos economistas de tanto alertar, já cansados.

 

Quando em mar/10 no Prós Contras alertei que já estávamos em recessão a caminho de uma depressão, que precisávamos sair do euro, chamaram-me de pessimista.

 

Quando antes do acordo do governo português com a Troika escrevi que precisávamos de uns 160MM€ e 8 anos para o reequilíbrio, fui chamado de extremista.

 

Agora até o The Economist deu-me razão. Quando em 2010 insisti no Euro-M, mediterrânico, temporário, uns 20% desfasado do Euro-N (Norte-Europeu), até Grécia, Itália, Espanha e Portugal recuperarem o equilíbrio orçamental e a competitividade, quase perdi dois amigos.

 

Hoje temos estes países a pagar 6 a 9% de juro pelos empréstimos que a Alemanha, França e Holanda pagam 0 a 1%. Não é o mesmo euro, não é a mesma UE? Na prática o nosso euro emprestado já se desvalorizou uns 8% e a situação piora!

 

Quando no início do ano escrevi que o ministro das finanças, Vítor Gaspar,  era otimista quanto a receita fiscal, chamaram-me de pessimista.Não só a equipa dele não considerou todos os fatores cíclicos, mas também esqueceu a economia paralela a crescer; e vai piorar. E um consultor experiente não pode dizer “o que foi que eu disse?”

 

Aprendi cedo: “Errar uma vez é humano, duas vezes é burrice, três é estupidez”. O novo erro da receita fiscal publicado esta semana é o terceiro!

 

Portugal não exportou mais em 2012, como dizem. Saíram 350M€ legalmente, o dobro ilegalmente, em ouro das famílias. É património dilapidado!

Autoria e outros dados (tags, etc)

O Estado da Troika VIII: A Comissão Europeia

Paulino Brilhante Santos 30 Set 12

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A Comissão Europeia tem vindo a reforçar o caráter que sempre teve de uma instância tecnocrática dominada por economistas, financeiros e outros técnicos e especialistas que, depois de terem feito parte ativa do “Consenso de Washington” têm sempre perfilhado a cartilha económica mais “neo-liberal” possível em todos os domínios da sua atuação. Em parte, essa postura é compreensível já que o papel histórico da Comissão Europeia consistiu em reforçar a integração económica europeia, criar primeiro o Mercado Único Europeu, depois o Espaço Económico Europeu e mais tarde lançar o Euro. Todas estas tarefas, naturalmente, exigiram a adoção de medidas extremamente “neo-liberais”- em sentido impróprio- adotadas neste caso no âmbito da União Europeia, dado que foi preciso proceder ao desmantelamento de milhares de barreiras a essa integração económica europeia e que obstavam à livre circulação de pessoas, capitais e mercadorias. Assim, é natural, até certo ponto que a cultura organizacional da Comissão Europeia tenha um cunho marcadamente “neo-liberal”. Porém, na situação atual em que essas tarefas originais da Comissão Europeia se encontram praticamente concluídas, seria de toda a conveniência que esta importante e crucial instituição europeia se reorganizasse e tentasse mitigar os excessos de tal cultura “neo-liberal” que no atual estádio de desenvolvimento da União Europeia já não se justificam.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Esta campanha promocial, realizada a pedido da Comissão Europeia, tem/tinha como objectivo de convencer um maior número de mulheres a enveredar por uma carreira científica. O resultado final foi um coro de indignação tanto por mulheres como pela comunidade científica, em geral ao ponto do vídeo promocional [original] ter sido retirado da rede após uma panóplia de comentários depreciativos.



Autoria e outros dados (tags, etc)

E hoje é o dia...

Faust Von Goethe 1 Jun 12

... Europeu sem Cuecas.

 

Este dia começou a celebrar-se em França em 1996 com base no slogan “Eu não uso cuecas!”. O principal objectivo passava por consciencializar a população francesa para o problema da infertilidade masculina provocada pelo uso desta peça de vestuário.

 

Desde 2000 que este dia foi extendido a todos os países da Comunidade Europeia, passando-se a chamar “Dia Europeu sem Cuecas”.

 

Com esta celebração, pretende-se sensibilizar a população masculina de que "o uso de cuecas faz com que os órgãos genitais masculinos fiquem demasiado quentes por estarem colados ao corpo, o que prejudica a produção de espermatozóides".

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Morrer da cura

Artur de Oliveira 16 Mai 12

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Segundo Vivien A. Schmidt no seu mais recente artigo no Telos, "o principal problema para a democracia europeia está nos processos de tomada de decisão que combinam uma abordagem tecnocrática com um intergovernamentalismo excessivo."

 

Na conclusão do seu artigo, Vivien A. Schmidt afirma que "o que a Zona euro precisa agora não é apenas de novas políticas e melhor de liderança no seio da Conselho Europeu, mas também um Parlamento mais envolvido e um Presidente da Comissão Europeia mais político, derivando a sua legitimidade uma eleição, para que o Conselho não é mais o único a decidir, á pressa, o destino da área do euro e, consequentemente, da União Europeia. "

 

As consequências para os países da zona Euro são nefastas, pois está-se a querer curar um cancro(a dívida) numa certa parte sensível do organismo europeu com doses massivas de quimioterapia (aumento de impostos) e de radioterapia (redução brutal de postos de trabalho através da eufemística flexibilização), o que diminui o poder de compra e enfraquece os orgãos mais debilitados.

 

Esquecem-se que a tal cura neoliberal pode-se alastrar ao organismo todo e que mais depressa se morre da mesma do que do cancro em si.


Autoria e outros dados (tags, etc)

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds