Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Ouriço

MENU

Cultura? Que Cultura tio?

Pedro Baptista-Bastos 4 Jan 14


 

 

 

 

 

 












 

Se alguém quiser aprender Português em Madrid, os professores são brasileiros. Cursos, promoção da língua e cultura portuguesas, conferências, uma simples livraria portuguesa - nada existe. O orgulho na língua Espanhola demonstra-se na sim...ples visão do Instituto Cervantes na Gran Vía. O orgulho na cultura espanhola vê-se em haver um Bairro das Letras, com ruas, livrarias com os nomes dos Grandes da Cultura Espanhola. O entendimento que esta crise se combate promovendo a Cultura é um desígnio nacional Espanhol - o Rei de Espanha apadrinha uma exposição que vai de Bosch a Ticiano; por cá, um Algarvio sombrio nada faz numa instituição que deveria ser a primeira a promover a Cultura que vai do Amazonas a Macau - eu não votei nele! Devemos ter orgulho em Portugal e na nossa Cultura, deveríamos usar a nossa Cultura como instrumento económico, mas a verdade é esta: nada fazemos para defender a nossa Cultura. Temos que ser reconhecidos no estrangeiro para sermos aceites entre nós. Não temos orgulho nacional colectivo para nada, excepto quando jogadores de futebol apelam ao apoio à selecção - e ter orgulho pátrio só ocorre quando há Cultura enquanto expressão nacional. A Espanha tem-na.


Autoria e outros dados (tags, etc)

O novo rosto de Espanha

Mendo Henriques 11 Out 12

 

A Espanha vai ter que adaptar o seu rosto, como, infelizmente, sucedeu à piloto MAria de Villota, agora que a Catalunha se quer separar. A Catalunha nunca deu grande contributo à Europa enquanto fracção do antigo reino de Aragão, com 4 milhões de habitantes . Integrada no reino de Espanha, atingiu o seu máximo potencial. Agora quer ser independente, criando  um conflito entre o direito à autodeterminação e o sentimento de pertença à Espanha. E convém não esquecer que foi a direita catlã - o PP de Aznar  e de Rajoy - que desencadeou na Catalunha o ataque ao rei Juan Carlos. Os esapnhois são mais juancarlistas que monarquicos. Se atacarem o rei, volta-se ao conflito civil entre espanhóis. talvez venha ser tão mau para todos como o acidente de Maria.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Espanha merecia melhor!

Mendo Henriques 24 Jul 12

A Espanha está na via dolorosa para pedir o resgate pleno. Depois da queda dos preços dos imóveis - já cairam mais de 30% dos valores antes da crise - e do colapso dos bancos descapitalizados, estão a vir ao de cima as dívidas até agora ocultas das regiões. Valência já pediu ajuda financeira ao governo central. A região de Murcia tem de refinanciar dívidas de € 433 milhões no segundo semestre de 2012. A taxa de empréstimos da dívida a 10 anos chegou a 7,5%, um nível insustentável a curto prazo.  Madrid confessa que a economia deverá contrair em 2012 e 2013. É um país em recessão - três trimestres de crescimento negativo. O caos das finanças começa a passar para protestos nas ruas, com mineiros, funcionários públicos e bombeiros. Em geral, uma desilusão com o estilo de gestão insensível adotada pelo governo Rajoy. É claramente um dos piores governantes que a Espanha já teve, incapaz de ver para além das políticas monetaristas que os neo liberais e neo conservadors de serviço lhe aconselham. Os povos de Espanha mereciam melhor que ganhar em todos os desportos e perder na sociedade. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Por essas e por outras é que nenhuma monarquia (nem sequer Espanha) está em vias de ser uma dividocracia... As austeridades , troikas e afins são criações de repúblicas- tubarão que devoram as repúblicas-peixe miúdo e as monarquias como têm um Chefe de Estado isento e fora do jogo partidário inspiram estabilidade e orgulho nacional. Veja-se o caso de Espanha e Portugal... Temos 103 anos de um regime ilegal que só nos deu caos, instabilidade, guerra civil, ditadura, corrupção e três visitas do FMI para quê?  Espanha ao menos luta...

 

 

 

 


Autoria e outros dados (tags, etc)

Espanha : Verão Quente

Mendo Henriques 20 Jul 12

 

As centrais sindicais e  20 organizações convocaram as populações do reino de Espanha para manifestações em 80 cidades, de protesto contra os cortes sociais e salariais e a política do governo PP de Rajoy. Os cortes envolvem a subida do IVA, o fim do subsídio de Natal de 2012 aos funcionários públicos, na sequência do pedido do governo do PP de apoio à banca espanhola no montante de 100 mil milhões de euros. Nos mercados financeiros, os juros da dívida pública de Espanha no mercado primário ultrapassaram hoje os 7%. Para Outubro os estudantes convocaram uma greve geral de três dias. Mesmo sem resgate ainda oficial, a Espanha entrou definitivamente no clube PIGS, como lhe chama a Europa do norte.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Balotelli De Quatro

Faust Von Goethe 2 Jul 12

Autoria e outros dados (tags, etc)

Leituras de Economês #9

Faust Von Goethe 29 Jun 12

 

 

Boas leituras!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Depois de Espanha e Itália terem garantido a presença na final do Euro 2012, Rajoy e Monti "bloqueiam" pacto para o crescimento [económico].

Autoria e outros dados (tags, etc)

(Moralmente) Vencidos no Euro 2012

Faust Von Goethe 27 Jun 12

 

Que dizer do jogo em que fomos eliminados por selecção Espanhola?

Primeiro, que se tratou de um excelente jogo de futebol onde qualquer umas das equipas mostrou, de uma forma ou de outra, que merecia estar na final!


Depois, que nos podemos queixar que houve um penálti por marcar pois houve "mão de Sérgio Ramos" no decorrer do primeiro tempo. No entanto, não nos poderemos esquecer que Ronaldo teve três livres de frente para a baliza-dois deles consecutivos- que poderiam ter resultado em golo. O mesmo Ronaldo, ao cair do pano-fim dos 90 minutos regulamentares-teve ainda uma ocasião de ouro para decidir o jogo e mandar nuestros hermanos mais cedo para casa. Estávamos em superioridade numérica mas Ronaldo não teve a frieza de ajeitar a bola para o seu melhor pé-o direito-acabando por chutar, de uma forma denunciada, à semelhança do que Hugo Almeida vinha a fazer antes de ser substituído por Nélson Oliveira.

 

E depois de um prolongamento sofrido, onde os nossos jogadores acusaram desgaste físico, Moutinho e Bruno Alves falharam duas grandes penalidades, após Xabi Alonso ter falhado a primeira.

Merecemos portanto ganhar nos primeiros 90 minutos de jogo. Mas isso não serve de desculpa para nos omiscuirmos de reconhecer que Espanha merecia ter ganho no prolongamento, pois foi a selecção que funcionou melhor em termos colectivos. Também não nos poderemos esquecer que Espanha tem um grande treinador que, ao contrário do nosso, soube jogar com o banco de suplentes, ao colocar Fabregas e Pedro no decorrer do segundo tempo.

 

E agora perguntam vocês:

Que ilacções poderemos tirar deste jogo e de toda a campanha ao longo do europeu?

Primeiro, que somos muito melhores em termos individuais que em termos colectivos. Segundo, que faz parte da nossa matriz cultural sofrer até ao fim-foi assim nos 5 jogos que realizámos onde ganhámos/perdemos sempre pela margem mínima.

 

Por fim, que o futebol-e o desporto em geral-é um excelente case-study tanto ao nível de integração social assim como continuação da política/economia por outros meios.

 

Não perceber este fenómeno é o equivalente a não reconhecer em termos pessoais e profissionais que sucesso e fracasso são duas faces da mesma moeda.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds