Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Ouriço

MENU

Os cidadãos agrilhoados

Artur de Oliveira 5 Mai 16

13124478_1012637668819217_6812750437144448802_n.jp

Tal como Prometeu, na lenda grega somos agrilhoados pela constituição da III República que se diz democrática e foi feita por "anti-fascistas", no entanto não dá aos cidadãos o direito de a referendar. Pois julgam-se os constitucionalistas e os defensores deste regime os deuses do Olimpo e nós meros mortais sujeitos aos seus caprichos. Poucos portugueses conhecem os seus direitos, mas a maioria conhece (de)mais os seus deveres. No entanto, aqui vai um trecho daquilo que nos injustiça e ainda por cima nem os próprios complicacionistas vulgo constitucionalistas se entendem quanto aos conteúdos: - "Referendos" Ponto 4: -"São excluídas do âmbito do referendo:" Alinha a: -"As alterações à Constituição;" Consequentemente impede que o por iniciativa popular que seja alterado o Artigo 288 "Limites materiais da revisão" "As leis de revisão constitucional terão de respeitar:" (...) alinha b: - "A forma republicana de governo;"

Autoria e outros dados (tags, etc)

o-que-e-a-caixa-de-pandora-3.jpg

Há diferenças entre os países irmãos, mas a corrupção é a mesma e até estamos irmanados pelas piores razões. Fizeram a república e tiraram a monarquia que libertou os escravos e deu direitos ás mulheres por interesses dos amigos e esses mesmos interesses continuam. Cidadãos? Meros servos da gleba. O feudalismo reencarnou na república. Há dúvidas?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Feliz dia das mentiras

Artur de Oliveira 1 Abr 16

3625253-3722626310-72732.jpg

A implantação da república devia ter sido nesta data e não no 5 de Outubro. Não é preciso dizer porquê, pois não?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Abstenção vs Voto Obrigatório

Artur de Oliveira 28 Jan 16

ig-cov.jpg

Quem venceu as eleições presidenciais de 2016, ao contrário do que todos pensam, não foi Marcelo Rebelo de Sousa, mas sim a abstenção com 51.16% dos votos. Não seria de admirar que face a estes resultados, os paladinos do regime republicano um dia queiram seguir o exemplo do Brasil e obrigar as pessoas a votar por forma a manter o estabelishment feudal partidocrata. Certos escritórios de advogados pertencentes a alguns deputados, ou a sócios, compadres e de clientelas dos mesmos esfregariam as mãos de contentes com mais um contrato chave na mão de outsourcing para se elaborar legislação antidemocrática e ás custas de quem? De nós, os cidadãos, como é lógico. Caso surja essa ideia, é sinal de desespero do regime actual, a república do centrão de baixo. Se por acaso esse plano vir a luz do dia, os barões do regime deviam primeiro seguir o exemplo do Brasil sim, mas no voto electrónico e não em coagir os cidadãos a votar. Se querem que votemos, é simples, pensem mais nos cidadãos nas vossas estratégias políticas e menos nos vossos amigos dos amigos. É caso para dizer que não estamos numa res publica, mas sim numa res privada com sabor a corrupção e cheiro a nepotismo bacoco. Só a cidadania activa é que pode apoiar uma governação mais justa e logo democrática, sem amarras de ideologias atrasadas que mais não servem para dividir e conquistar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

A Política dos Troika-Tintas

Artur de Oliveira 20 Set 13















 

 

As contradições do FMI dão a impressão que  os políticos mundiais bem como os responsáveis de entidades internacionais são amadores e não conseguem vêr as mudanças económicas e usam as soluções mais fáceis para combater as dívidas soberanas, mas a verdade é que está tudo bem estudado e programado, a agenda é que não tem em conta os danos colaterais como os cidadãos e a pressão das opiniões públicas está a permear os discursos do Fundo Monetário Internacional pelos vistos, pois não quer ser visto como o mau da fita. No campo doméstico, pior ainda e já nem falo em corrupção nem nos clientelismos habituais. A coisa está preta exactamente por causa de uma coisa chamada amadorismo dos políticos (Actual governo e oposição) que pedem resgate á Troika por não terem sabido gerir as finanças nacionais e por não terem coragem de pedir uma revisão minuciosa da dívida. Agora até o principal partido da maioria manda recadinhos e boquinhas pelos seu grupo parlamentar, pois sabe que as exigências da Troika são tarefa tão fácil como pôr o José Castelo Branco vestir-se e falar como um homem, mas nas reuniões da 8ª e 9ª avaliações aparentemente não demonstram essa frontalidade.  É assim que se negocia o abrandamento da austeridade? Depois os cidadãos é que são piegas e lamurientos. Assim vai a III República a caminho do abismo e senão houver intervenção da sociedade civil, o nosso país e a nossa civilização milenar serão arrastados para o mesmo destino, pois a nossa pobreza não é  de finanças apenas, mas principalmente de regime e de classe política. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

República Niilista

Artur de Oliveira 4 Out 12

 

 

 

 

A forma como esta terceira república se organiza é totalmente decadente… Venhamos e convenhamos, a sua génese foi uma autêntica torre de Babel em termos partidários. Ninguém se entendia, todos queriam puxar pela sua causa, sacrificando liberdades, todos a lutar pelas suas ideologias em nome dos partidos e por um regime republicano porque lhes dava jeito…

 

 E o que tem acontecido sempre que os partidos atingem o poder? Clientelismo, cunhas e tachos: È preciso falar do casos Face Oculta, BPN, PPP´s? Tantos houve que não deram em nada em termos de justiça… Porquê? Porque apesar de haver uma luta tradicional em todas as legislaturas entre o presidente da República, supostamente imparcial á luz da constituição, e o governo oposto á sua cor política verdadeira, no fundo todos se protegem uns aos outros porque o sistema de justiça está “programado” para isso…

 

Lembra-me a luta entre o Cavaleiro branco e o cavaleiro negro no livro Alice no outro lado do espelho…Tão diferentes e tão iguais… Lutar para conquistar e reinar sobre os despojos do país, seja na admnistração pública seja nas autarquias, os amigos e negócios floresceram porque há um sentimento que o Estado é para servir quem manda e não o povo que os elege… Não falo apenas de certos líderes políticos, mas de alguns abutres que os rodeiam, das redes de interesses já há muito estabelecidas por acordos e pactos em certas sociedades secretas, mas não assim tão discretas.

 

 A conclusão a que chego é que essa gente é niilista. Querem os interesses satisfeitos em nome deles mesmos e ou não têm a mínima ideia do que estão a fazer á nossa civilização portuguesa ou não se importam… A monarquia com um sistema imparcial, com uma constituição diferente disciplinaria os partidos todos, acabando com este sistema apodrecido. Está na altura de lutar pela mudança. Vamos todos dizer que já chega e apresentar a monárquia como única alternativa viável… Urge promover o debate nacional, argumentar com inteligência o porquê da república em portugal ser um fracasso e que a monarquia pode mais uma vez conduzir Portugal á glória em pleno século XXI com os partidos a contribuir para a democracia livres de um sistema que favorece a corrupção e as desigualdades na nossa sociedade..

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds